RSS

Florestas urbanas

 

São um respiro em meio ao caos das grandes cidades



Além de refúgios naturais, as reservas são importantes na preservação da fauna e da flora características de regiões de grande desmatamento

Parque Estadual Pedra Branca



Situado na Zona Oeste do Rio de Janeiro, o Parque Estadual da Pedra Branca abriga uma das maiores florestas urbanas do país. Sua flora é típica de Mata Atlântica e guarda espécies raras, endêmicas e até resquícios históricos de plantações de café. A fauna local, extremamente rica, é composta por diversos animais inclusive de espécies ameaçadas como o macaco-prego, o porco-do-mato e a preguiça. Répteis como serpentes e lagartos, e mais de 180 espécies de aves, também podem ser encontrados no local.

O parque dispõe de diversos percursos de trilhas e caminhadas com vários níveis de dificuldade. Visitas livres ou guiadas são possíveis.

Área: 12.394 hectares
Horário de visitação: de terça a domingo, das 8h às 17h.
Acesso: 
Núcleo Pau-da-Fome:  Estrada do Pau-da-Fome, 4003, Jacarepaguá, Rio de Janeiro – RJ
Núcleo Camorim: Estrada do Camorim, 2118 – Camorim, Jacarepaguá, Rio de Janeiro – RJ



Parque Nacional da Tijuca



Composto pela maior floresta urbana do mundo plantada pelo homem, o Parque Nacional da Tijuca preserva uma extensa área de Mata Atlântica e cerca de 328 espécies de fauna no coração da cidade do Rio de Janeiro.
Parque Nacionalda Tijuca  (Foto: Divulgação / Ruy Salaverry)Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro
(Foto: Divulgação/Ruy Salaverry)

Trilhas, contemplação de paisagens em mirantes, banhos de cachoeira, passeios de bicicleta pelas áreas asfaltadas e escalada são algumas das atividades possíveis. A escalada pode ser praticada na Agulhinha da Gávea, na Pedra da Gávea, na Pedra Bonita e no Pico da Tijuca (na Floresta) desde que o termo de conhecimento de riscos seja assinado e entregue às autoridades do parque.

Nos dias mais quentes, o banho na Cachoeira das Almas, na Floresta da Tijuca, ou na Cachoeira do Horto, na Serra da Carioca, são uma ótima opção para os visitantes. Os organizadores pedem que não sejam utilizados quaisquer produtos químicos, como repelentes e bronzeadores, para preservar ao máximo as águas.

A visitação nos três setores abertos do Parque (Floresta da Tijuca, Serra da Carioca e Pedra Bonita/Pedra da Gávea) é gratuita, com exceção da subida ao Corcovado (na Serra da Carioca), onde é possível ver o Cristo Redentor.

Área: 3.900 hectares
Horário de visitação: todos os dias, das 8h às 17h (até 18h no horário de verão)
Acesso:
Entrada na Praça Afonso Vizeu, no Alto da Boa Vista
Acesso pela Estrada do Alto, tanto vindo da Tijuca (pela Avenida Edson Passos) quanto da Barra da Tijuca e do Itanhangá (pela Estrada das Furnas).
De ônibus: linhas 301, 333, 308, 309 e 345
A Cachoeira das Almas, local liberado para banho nesse setor, fica a aproximados três quilômetros da entrada do parque
Elas protegem vegetação e animais, e ainda agregam qualidade de vida aos centros urbanos.  Como grandes heroínas, se sustentam bravamente na contramão do crescimento das grandes cidades. As florestas urbanas são como refúgios que nos fazem lembrar um pouco de como é saudável viver e respeitar a natureza.

Além de serem extremamente importantes na preservação do patrimônio biológico do país, as florestas urbanas são também responsáveis por amenizar os efeitos poluentes das grandes cidades. A purificação do ar e da água, bem como a manutenção do clima, são alguns dos benefícios destas reservas ambientais alojadas no coração de grandes metrópoles.

Conheça nesta reportagem algumas das principais florestas urbanas do Brasil:

Parque Tenente Siqueira Campos (Trianon)
Passeio de conexão com a natureza no Parque Trianon (Foto: Divulgação / Parque Trianon)Conexão com a natureza no Parque Trianon
(Foto: Divulgação/Parque Trianon)
Em meio a tantos prédios na Avenida Paulista, é um alívio ver e sentir o tesouro natural guardado pelo Parque Trianon. Sua flora remanescente de Mata Atlântica e fauna composta basicamente de animais alados, como pássaros, borboletas e morcegos, são como um refúgio para os que querem fugir por alguns instantes do caos urbano. Além da natureza, também se destacam no parque as esculturas “Fauno”, de Victor Brecheret e “Aretusa’, de Francisco Leopoldo Silva.
Com a intenção de promover a saúde e o lazer, o Parque Trianon possui uma extensa programação de atividades de ginástica chinesa, como Tai Chi Chuan, e de apresentações musicais gratuitas.

Segundo a administração do parque, trilhas sem guias ou monitores não são indicadas. Animais domésticos são permitidos desde que em suas guias, lembrando que todo dono é responsável pelo seu animal e por aquilo que ele produz. Além disso, não é permitida a circulação com bicicletas, patins ou skates.

Área: 48.600 m²
Acesso: Rua Peixoto Gomide, 949 (Altura do nº 1700 da Avenida Paulista).
Horário de funcionamento: diariamente das 6h às 18h
Atividades:
Rádio Taissô: de segunda a sexta-feira das 7h às 7h30
Lian Gong: terça e quinta-feira das 16h às 17h, e domingo das 9h às 10h
Tai Chi Chuan: de quarta a sexta, das 7h30 às 8h30
Pratica de exercícios terapêuticos chineses: terça e quinta-feira de 7h30 às 8h, e das 8h às 8h30
Domingo: programação musical às 11h. (Horário sujeito à alteração)
Informações sobre outras atividades: (11) 3253-4973 / (11) 3289-2160
Jardim Botânico Adolpho Ducke
Parque Cinturão verde



A cidade de Cianorte, no Paraná, é contemplada pela natureza de uma das maiores florestas urbanas do país. O Parque Cinturão Verde preserva uma riquíssima biodiversidade florestal e centenas de espécies de animais silvestres, muitos deles em extinção.

Visitas monitoradas e educativas promovidas pelo Parque Cinturão Verde são o único meio de  interagir e observar a fauna e da flora local. No passeio, os principais destaques são a Trilha das Perobas, com espécies centenárias, e o bosque de árvores frutíferas, em que os visitantes podem comer frutos do pé enquanto observam a natureza. O ´parque também promove oficinas de educação ambiental e de fotografia. A programação atualizada de oficinas pode ser acessada nosite da prefeitura de Cianorte.

Área: 423 hectares
Horário de Visitação: O parque permite apenas visitas monitoradas em grupos de 30 pessoas. São agendados um horário pela manhã e outro pela tarde, geralmente às 9h e às 14h30. Para marcar uma visita ligue para (44) 3631-6463
Via de acesso: Tomar a BR323, pegar a Avenida Maranhão e seguir até o Parque Manduí.
Fonte:http://redeglobo.globo.com/globoecologia

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

LIMPE OS SEUS RINS!


Os anos passam e os nossos rins filtram o sangue, remove o sal, veneno e qualquer indesejado que entra no nosso corpo. Com o tempo, o sal acumula e isso precisa se submeter a tratamentos de limpeza. Como é que vamos libertar-nos disso?
É muito fácil, primeiro lavar um ramo de salsa, limpar, depois cortá-la em pedaços pequenos e colocá-lo numa panela, despeje água limpa e ferva por dez minutos e deixe arrefecer, filtre e despeje numa garrafa limpa, mantê-lo dentro da geladeira para esfriar.
Beber um copo por dia e vai notar que todo o sal e outro veneno acumulado vão sair dos seus rins, por micção, também vai notar a diferença que nunca sentiu antes.

Salsa é conhecida como a melhor limpeza de tratamento para os rins e é natural.

Via: Valério Biazi, página da FisioQuantum.
Fonte by:
LÁ NA ROÇA
 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Onça Do Pantanal



A onça-pintada, esta que também pode ser considerada como jaguar, é uma espécie de animal mamífero carnívoro, ou seja, quando nasce, tem todas as qualidades de um mamífero, se alimentando de sua mãe, que produz leite, mas no decorrer de seu crescimento passa a ser alimentada com carne de animais de outras espécies, sendo também ensinada a caçar por sua mãe.
É considerada como o terceiro maior felino do mundo, perdendo espaço apenas para o tigre e para o leão. É mais encontrada no continente americano, porém, sua raça, assim como muitas outras, sofre de extinção. A onça, que é bastante parecida com o leopardo, pode ser diferenciada pelo fato de possuir maior quantidade de pelos e manchas em sua pele.


Ela também pode ser conhecida como onça-pintada do Pantanal, já que o habitat natural é relacionado a locais onde haja água e animais em abundância, sendo assim, de acordo com diversos estudos, o local onde há maior concentração de sua espécie é no Pantanal e regiões da Amazônia.
A caça deste animal, justamente pelo fato de estar em extinção, é considerada altamente proibida, ou seja, a venda de pele ou até mesmo da carne da onça é considerada crime em qualquer região que este seja feita, tanto no Brasil como nos Estados Unidos e Argentina, onde há maior concentração do animal.


A onça-pintada do Pantanal trouxe ao Brasil diversos curiosos que obtinham desejo de estudar um pouco mais sobre sua espécie, sobre a forma com a qual se relaciona com os seus familiares, forma de sobrevivência e de caça. É possível encontrar diversos vídeos na internet sobre como ela procede ao atacar um outro animal para se alimentar.
Também é possível dizer que tem se tornado um grande atrativo para aqueles que têm o desejo de apenas apreciar a beleza deste, fazendo assim com que haja inclusive turistas que venham ao Brasil, mais especificamente ao Pantanal, para conhecer um pouco mais sobre ela.


Mas, para os moradores da região, ela não é apenas um objeto de apreciação, e sim de ameaça, afinal, no Pantanal também há diversos fazendeiros, que acabam por se ver obrigados a matar os animais, que muitas vezes se perdem da reserva que é destinada a eles e acabam invadindo fazendas, colocando em risco a vida das famílias e do gado que é criado. A forma de proteção encontrada por essas pessoas infelizmente é matar os animais.
Hoje é possível dizer que no Pantanal localiza-se cerca de 70% de toda a população existente de onças-pintadas no mundo, sendo assim, a única forma de procriação garantida é fazer com que elas vivam de forma segura, mesmo que uma ou outra acabe buscando a preferência pelo gado doméstico.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Cuidando dos olhos.

Mirtilo, o blueberry brasileiro



Uma pequena fruta, uma grande promessa. É em um vale da Serra Gaúcha, em Forqueta, região de Caxias do Sul, que uma família inteira trabalha no cultivo de uma novidade: o agricultor Nestor Soga; a mãe dele, dona Mercedes; a mulher, Maria Inês e a filha Lílian. O nome da fruta é mirtilo. Ela é menor que a uva e, quando madura, fica da cor da jabuticaba. Mas o sabor do mirtilo é único, especial. E a semente é muito pequena.O mirtilo não é apenas uma fruta saborosa. Pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) comprovaram que o mirtilo produzido no Brasil tem as mesmas características do blueberry – a versão original da fruta, cultivada nos Estados Unidos e na Europa – e possui a mesma quantidade de pigmentos antocianos. É este pigmento que age de maneira benéfica no nosso organismo: combate os radicais livres, é antiinflamatório, melhora a circulação e reduz o colesterol ruim. Outro benefício comprovado do mirtilo está ligado à saúde dos olhos.
“Estudos científicos têm mostrado que o mirtilo previne doenças relacionados à visão, como catarata e glaucoma, melhorando a capacidade de leitura e o foco da visão. Os antocianos presentes no mirtilo têm a capacidade de reverter ou evitar o problema, prolongando a capacidade visual”, farmacêutico José Ângelo Zuanazzi, da UFRGS.
O poder de melhorar a visão atribuído ao mirtilo é uma história que vem desde a Segunda Guerra Mundial, quando os pilotos britânicos comiam mirtilo antes dos vôos noturnos. Eles acreditavam que assim enxergavam melhor os alvos inimigos.
Quem enxergou longe foi o padre Darci Bortolini. Há cinco anos ele decidiu apostar no mirtilo. E como acreditar faz parte da vida dele, padre Darci viu na pequena fruta a prosperidade sonhada pelas famílias da região. De casa em casa, ele começou a oferecer as mudas, que comprou com as próprias economias.
Mas ninguém pôs muita fé na crença do padre. Os produtores, acostumados a cultivar frutas mais populares, tinham medo de arriscar. Apesar do descaso de dona Mercedes, o filho Nestor emprestou um terreno para o padre plantar o mirtilo. Assim mesmo, meio desconfiado.
“É difícil chegar com duas plantinhas para alguém e tentar vender. Mas, se entre dez eu conseguir convencer uma, isso basta”, analisa o padre.
A plantação deu certo e se mostrou fácil de cultivar. Aos poucos, a criação de frangos, fonte de renda da família nos últimos 30 anos, foi sendo abandonada. No lugar das granjas, surgiram estufas, onde estão 140 mil mudas de mirtilo, prontas para espalhar a novidade.
“Com certeza, vai ser um costume brasileiro, mas ainda vai demorar alguns anos. A fruta é saudável, gostosa e o povo vai aprender a saboreá-la”, avalia Nestor.
O sucesso da plantação de Nestor encorajou outros agricultores. Quem orienta os novatos é o agrônomo Alverídes Santos, que, através da Embrapa, trouxe o mirtilo para o Brasil há 21 anos.
"Acredito nas pequenas frutas. É a cultura que mais cresce dentro da fruticultura no mercado europeu, no mercado do primeiro mundo. Por que nós aqui iríamos ficar de fora?", comenta o especialista.
Sagrada ousadia. Hoje, o agricultor Nestor e padre Darci reverenciam as virtudes prometidas pelo mirtilo, o blueberry brasileiro.
"Saúde, longevidade, juventude perene", ressalta padre Darci.


Fonte : Globo Reporter

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Migração de borboletas

 

Migração de borboletas pode ser afetada por clima, dizem cientistas

Borboletas-monarca devem finalizar ciclo migratório ainda neste mês.
Milhões delas devem viajar do Canadá até o México, passando pelos EUA.

 Borboleta-monarca fotografada em galho de árvore no estado de Vermont, nos Estados Unidos. Milhões destes animais devem migrar de regiões do Canadá para o México, passando pelos EUA, até o fim deste mês, segundo cientistas. Pesquisadores americanos afirmam que alterações e elevações de temperatura podem prejudicar a rota migratória das borboletas. (Foto: Toby Talbot/AP)

 

Fonte:G1 Globo Natureza

 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Caranguejo Roxo


Cientistas do Museu de Zoologia Senckenberg encontraram uma espécie de caranguejo um pouco diferente. A casca dele chama a atenção por ser roxa.

O caranguejo roxo, de nome científico Insulamon palawanense, foi encontrado nas ilhas Filipinas, no arquipélago de Palawan. Eles ficam em pedras e em riachos e se alimentam de plantas mortas, frutas, carniça e pequenos animais.

 Apesar da carcaça roxa, o caranguejo tem garras e pernas avermelhadas. Para os pesquisadores, parece provável que a coloração sinalize o comportamento social do crustáceo, de acasalamento, por exemplo.

Essa é uma das quatro espécies de caranguejo de água doce descobertas pelos especialistas do Museu de Zoologia Senckenberg durante a expedição. Segundo o estudo, todas as novas espécies encontradas correm risco de extinção.

As principais ameaças a sobrevivência dessas espécies está no desmatamento da floresta para a mineração e a agricultura. Isso reduz o habitat dos caranguejos e polui a água.



Fonte: Exame Info

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Tigre-de-Bengala - O mais belo dos animais


De todos os animais que existe no mundo, um por um tem traços que os fazem embelezar, amedrontar, ou mesmo deixa-nos boquiabertos por tamanha beleza e singularidade dos pormenores de suas características. O tigre-de-Bengala, não raro esta entre os mais bonitos do mundo - e em primeiro lugar na minha lista; não obstante de sua beleza, é um dos grandes predadores do reino animal.
Infelizmente existem aproximadamente - dados de 2008 - cerca de 500 tigres-de-bengala vivos livres na natureza, sendo assim, uma das mais ameaçadas de extinção.
Mas de qualquer maneira, quando deparo-me com essa espécie magnifica como essa, vejo o quão egocêntricos somos, e por tão pouco termos. Vejo também, como DEUS é maravilhoso em sua obra infinita.



Característica



Altura De: 90cm / 1 m
Comprimento (fêmea) 1,14 cm / 2,60 m
Comprimento (macho) 2,60 cm / 3 m
Cauda 60 cm / 1 m
Peso (fêmea) 210 Kg / 252 Kg
Peso (macho) 266 Kg / 302 Kg
Filhotes (ninhada) 2 / 4
Gestação 95 dias / 112 dias
Tempo de vida 26 anos

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS